Skip to main content
menu

PARAHYBA DO NORTE E SUAS HISTÓRIAS: Os dois últimos cinemas de rua em João Pessoa – Por Sérgio Botelho

A partir do dia 10 de maio de 1982, há 42 anos, portanto, dos velhos cinemas de rua em João Pessoa restariam apenas dois, ambos na rua Visconde de Pelotas, centro da cidade o Plaza e o Municipal. Naquele dia, uma segunda-feira, fechava as suas port

Por admin

11/06/2024 09h10 Atualizado recentemente

A partir do dia 10 de maio de 1982, há 42 anos, portanto, dos velhos cinemas de rua em João Pessoa restariam apenas dois, ambos na rua Visconde de Pelotas, centro da cidade o Plaza e o Municipal. Naquele dia, uma segunda-feira, fechava as suas portas o Cine Rex, também no Centro, na esquina da Peregrino de Carvalho com a Duque de Caxias, defronte à sede central do Esporte Clube Cabo Branco e bem ao lado da vetusta Igreja da Misericórdia.

Registre-se que ainda continuava a exibir sessões públicas de cinema, na tela grande de uma sala para numerosa audiência, o Cine Tambaú, no prestigiado hotel do mesmo nome, na orla marítima. No entanto, desde o nascedouro, no início da década de 1970, o Tambaú não havia sido criado exatamente com as mesmas características de outras salas exibidoras de filmes, dessas chamadas de ruas, que chegaram a existir um dia, espalhadas pela urbe pessoense.

O Tambaú fazia parte de um complexo com hotel, boate e outros serviços à comunidade. O prédio do Rex, negociado pela Empresa Luciano Wanderley com o Banco Nacional (que chegou a patrocinar Ayrton Senna, na década de 1980, mas que seria extinto na década de 1990) exibiu, na despedida, o domingo, 09, o filme “Os Segredos do Kung Fu Chinês”, uma daquelas películas sobre as artes marciais do Oriente que dominaram as telas do cinema mundial entre as décadas de 1970 e 1990.

Já haviam fechado suas portas, somente no Centro, os cinemas Brasil (na Guedes Pereira), o Filipeia e o Astoria (na Rua da República) e o São Pedro (na São Miguel). Nos bairros, já não mais existiam o São José e o Santo Antônio (em Jaguaribe); o Torre e o Metrópole (na Torre); o Bela Vista, o Glória e o Guarani (na região de Cruz das Armas-Oitizeiro), e o São Luiz (em Mandacaru). Além do Santa Catarina, em Cabedelo.


Confira também: .

O fim dos antigos cinemas de rua representou uma mudança significativa na paisagem urbana e na cultura cinematográfica da cidade. Enquanto muitos desses espaços desapareceram, os que restam, mesmo assim, totalmente desfigurados, servem apenas como lembrança da era dourada do cinema na capital paraibana.

Publicado de forma automática pelo integrador de notícias, originalmente foi publicado pelo https://www.polemicaparaiba.com.br

Comentários (0)

Faça seu Login para participar da conversa
Entrar