Proibido de entrar em restaurante, Bolsonaro come na rua em NY

Bolsonaro e sua comitiva comendo pizza na rua em Nova York, nos Estados Unidos, no domingo (19).

Na foto estão o presidente da Caixa, Pedro Guimarães; o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Luiz Eduardo Ramos; e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga; entre outros.

A cidade exige, desde 16 de agosto, que as pessoas apresentem comprovante de vacinação contra a Covid-19 para frequentar lugares fechados, como restaurantes, cinemas, teatros e academias.

Ao comer na rua, a apresentação do comprovante não é necessária.

O presidente brasileiro já disse mais uma vez que não tomou nenhum imunizante — e, por isso, pode ter dificuldades para frequentar diversos locais em Nova York.

Café da manhã no hotel e entrada pelos fundos

Na manhã desta segunda-feira (20), Bolsonaro tomou café da manhã no hotel, em uma área reservada à comitiva brasileira. Havia uma placa informando que é obrigatória a apresentação do comprovante de vacinação no restaurante.

Sobre o fato de Bolsonaro divulgar que não foi vacinado, um gerente do restaurante, que não quis se identificar, disse que não iria cobrar o comprovante do presidente do Brasil.

Lula alarga vantagem sobre Bolsonaro: 40% contra 24%, diz XP/Ipespe

O  ex-presidente Lula (PT) segue ampliando a vantagem sobre Bolsonaro nas pesquisas de intenção de voto. No levantamento de agosto divulgado nesta terça-feira (17), o petista aparece com 40% — um crescimento de 2 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior, enquanto o atual chefe do Executivo caiu dois pontos.

É a quinta pesquisa que Lula mostra aumento do percentual de intenção de votos.  De março até atualmente, o pré-candidato foi de 25% a 40%, um aumento de 15% em 5 meses.

Atrás dos primeiros colocados estão Ciro Gomes (10%), Sérgio Moro (9%), Mandetta e Eduardo Leite (4%). No cenário com Doria (5%) é testado no lugar de Leite e Datena (5%) e Pacheco (1%) são incluídos, o petista também lidera, com 37%, enquanto Bolsonaro figura com 28%

O levantamento ouviu mil pessoas em todos os estados do país de 11 a 14 de agosto. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais.

José Serra é diagnosticado com Parkinson e pede licença no Senado por 4 meses

O senador José Serra (PSDB-SP) divulgou nesta terça-feira (10) que vai se licenciar do cargo pelos próximos quatro meses para tratamento médico. A nota afirma que, após avaliações neurológicas na última semana, ele foi diagnosticado com doença de Parkinson em estágio inicial, o que “requer um período de adaptação à medicação”.

Além disso, o tucano, que está com 79 anos, também vai tratar do seu distúrbio do sono.

“O parlamentar encontra-se em bom estado de saúde, mas optou pelo afastamento para que seu suplente, José Aníbal, possa assumir, sem deixar a cadeira de senador por São Paulo em vacância durante o período do tratamento experimental. A decisão também evitará eventuais paralisações no andamento dos projetos em favor do país”, afirma a nota.

Em 22 de junho, o senador esteve internado no Hospital Sírio-Libanês em São Paulo após ser diagnosticado com a Covid-19. Mesmo assintomático, ele cumpriu quarentena no hospital, que identificou uma pneumonia leve no senador.

Em 6 de julho, ainda no Sírio-Libanês, Serra foi submetido a um cateterismo e à colocação de um stent em uma das artérias do coração e teve alta quatro dias depois.

“O senador, que já aprovou 26 projetos na Casa – dos quais, 11 já viraram lei -, e tem mais 47 proposições aguardando votação no Senado e 16 na Câmara, está seguro de que, ao final desse período, retomará suas atividades com toda a disposição e proatividade que vêm pautando sua atuação no Senado desde 2015”, finaliza a nota.

Suplente

O tucano José Aníbal, suplente do senador José Serra no Senado Federal. — Foto: Ana Volpe/Agência Senado

Conforme a nota do gabinete parlamentar, o suplente de Serra é o ex-deputado federal José Aníbal (PSDB-SP), que assumirá o cargo no período de afastamento do amigo tucano.

Anibal já tinha assumido o mandato no Senado Federal quando José Serra foi ministro das Relações Exteriores do governo Michel Temer (MDB).

Economista como Serra, José Aníbal foi presidente do Instituto Teotônio Vilela, do PSDB, além de secretário estadual de Energia de São Paulo, secretário Estadual de Desenvolvimento e vereador na capital paulista.

Deputada Edna Henrique se declara a favor do voto impresso: “por mais transparência”

A deputada federal pela Paraíba, Edna Henrique, se declarou a favor do voto impresso. Nas redes sociais, nesta terça-feira (10), ela manifestou o apoio à PEC 135/19 “por mais transparência ao direito ao voto.”

“Sou a favor do voto auditável! A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19 estabelece que, “no processo de votação e apuração das eleições, dos plebiscitos e dos referendos, independentemente do meio empregado para o registro do voto, é obrigatória a expedição de cédulas físicas conferíveis pelo eleitor”. Por mais transparência ao direito ao voto. Essa medida eu apoio!”, disse nas rede sociais a deputada, conforme apurou o ClickPB.

A PEC do Voto Impresso havia sido derrotada na Comissão Especial da Câmara, mas foi movimentada pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, para ser levada a plenário.

Da bancada da Paraíba, já se manifestaram sobre o voto impresso o deputado Julian Lemos, também a favor, e Gervásio Maia, contra.