Skip to main content
menu

Veterano de guerra, aos 100 anos, se casa com noiva de 96 na França

Direitos de autor AP Photo Harold Terens, de 100 anos, e Jeanne Swerlin, de 96, se casaramna região da Normandia, no norte da França. O norte-americano, veterano de guerra, está na Europa para participar das celebrações dos 80 anos do desembar

Por admin

10/06/2024 08h05 Atualizado recentemente
Direitos de autor AP Photo

Harold Terens, de 100 anos, e Jeanne Swerlin, de 96, se casaramna região da Normandia, no norte da França. O norte-americano, veterano de guerra, está na Europa para participar das celebrações dos 80 anos do desembarque dos aliados durante a durante a Segunda Guerra Mundial, o histórico Dia D.

“É o melhor momento da minha vida. Tenho 100 anos e minha noiva tem 96, e casar aqui em Carentan é incrível”, disse Harold Terens à imprensa logo após a cerimônia na pequena cidade francesa, perto das praias onde milhares de soldados desembarcaram em junho de 1944, em um episódio que mudou o curso da história.

O casamento ocorreu no sábado (8/6). “Eu me sinto jovem novamente”, insistiu o noivo, enquanto acenava para os convidados e curiosos da sacada da prefeitura onde o casamento foi oficializado.

Antes de entrar na prefeitura, Jeanne Swerlin, em um vestido de cetim rosa, não conseguia conter a alegria. “Esperei 96 anos para encontrar a pessoa certa e tenho um casamento como só reis e rainhas têm”, celebrou.

Terens faz parte dos veteranos norte-americanos homenageados esta semana durante as comemorações do 80º aniversário do Dia D, como ficou conhecida a operação de desembarque dos aliados durante a Segunda Guerra Mundial. Ele aproveitou a ocasião para se casar com Jeanne, com quem vive na Flórida, no sudeste dos Estados Unidos.

Logo após celebrar o casamento com amigos e familiares, o veterano foi para Paris, onde foi um dos convidados do jantar oferecido pelo presidente francês, Emmanuel Macron, ao norte-americano Joe Biden.

Boa memória do veterano

O noivo é um homem alegre e espirituoso, dotado de uma memória fantástica. Lembra-se de datas, cidades e acontecimentos, principalmente do momento em que participou da guerra.


Confira também: .

Pouco depois de completar 18 anos, em 1941, o Japão bombardeou a base naval americana de Pearl Harbor. Terens, como muitos jovens de seu país, quis se alistar ao Exército.

Ele sonhava ser piloto da Força Aérea, mas seu daltonismo o impediu e acabou se tornando um especialista em Código Morse. No entanto, isso não impediu que, aos 20 anos de idade, ele partisse para a Inglaterra em um navio militar e fosse designado para atuar nas operações de comunicação terra-ar.

“Estávamos perdendo a guerra porque perdíamos muitos aviões e muitos pilotos”, recorda. “Esses pilotos eram meus amigos e os mataram. Eram todos jovens”, relata.

Sua companhia perdeu a metade de seus 60 aviões durante o desembarque da Normandia. Pouco depois, Terens viajou como voluntário para essa região do norte da França para transportar para Inglaterra prisioneiros de guerra alemães e aliados libertados.

Ele voltou a sua Nova York natal depois que os nazistas capitularam em 8 de maio de 1945. Após a guerra, ele se casou com Thelma, com quem viveu por 70 anos e teve duas filhas e um filho.

Após a morte da primeira mulher, ele conheceu Jeanne Swerlin, em 2021 e não se separaram desde então. “Nunca amei ninguém como amo essa garota”, diz Terens. “Ela ilumina minha vida. Ela torna tudo mais bonito, faz a vida valer a pena”, concluio o veterano.

COM INFORMAÇÕES METRÓPOLES

Comentários (0)

Faça seu Login para participar da conversa
Entrar