Skip to main content
menu

‘Peixe do fim do mundo’: Peixe-remo que ‘prevê terremotos’ surge na costa do México

O peixe-remo, conhecido cientificamente como Regalecus glesne, é um peixe de aparência incomum que habita as profundezas do oceano. Seu comprimento pode chegar a 11 metros, o que o torna um dos peixes ósseos mais longos do mundo, segundo a Nationa

Por admin

05/06/2024 07h40 Atualizado recentemente

O peixe-remo, conhecido cientificamente como Regalecus glesne, é um peixe de aparência incomum que habita as profundezas do oceano. Seu comprimento pode chegar a 11 metros, o que o torna um dos peixes ósseos mais longos do mundo, segundo a National Geographic. Recentemente, o aparecimento de diversos exemplares nas costas de diversos países desatou uma onda de especulações e teorias.

Um desses avistamentos recentes ocorreu no Mar de Cortez, perto de Cabo San Lucas, no México . O exemplar, também conhecido como “peixe terremoto” — os mitos populares sugeren que ele só aparece quando um abalo sísmico está prestes a ocorrer — foi encontrado por pescadores esportivos enquanto era atacado por tubarões. Seu tamanho incomum surpreendeu moradores e turistas.

Por que é conhecido como “o peixe do fim do mundo”?

A fama do peixe-remo como “o peixe do fim do mundo” vem de antigas lendas japonesas. Segundo o folclore desse país, esses peixes emergem à superfície antes de grandes desastres naturais, especialmente terremotos e tsunamis.

Essa crença foi popularizada após o devastador terremoto e tsunami de Fukushima em 2011, quando vários avistamentos de peixes-remo foram relatados na costa japonesa antes do desastre.

Embora as lendas sobre o peixe-remo sejam fascinantes, os cientistas alertam que não há provas concretas que apoiem a ideia de que esses peixes possam prever terremotos. Os pesquisadores sugerem que os peixes-remo podem subir à superfície devido a mudanças nas correntes oceânicas, nas temperaturas ou quando estão doentes ou feridos, e não necessariamente como um sinal de desastres iminentes.

Comentários (0)

Faça seu Login para participar da conversa
Entrar