Skip to main content
menu

Homem sobe em carro para evitar que veículo seja levado durante chuvas em João Pessoa: ‘Só deu tempo salvar as vidas’

O pintor Antônio Robson Nogueira, conhecido como Tony, subiu no próprio carro, que estava quase submerso, após alagamento no bairro do Esplanada, em João Pessoa. Um vizinho registrou a imagem do homem sentado em cima do veículo, enquanto a chuv

Por admin

29/05/2024 09h50 Atualizado recentemente
O pintor Antônio Robson Nogueira, conhecido como Tony, subiu no próprio carro, que estava quase submerso, após alagamento no bairro do Esplanada, em João Pessoa. Um vizinho registrou a imagem do homem sentado em cima do veículo, enquanto a chuva continuava caindo. Nesta terça-feira (28), a capital paraibana enfrenta chuvas fortes, que representam quase metade do volume previsto para maio.

“O rapaz disse que ia encher tudo, que a água ia levar o carro. Eu subi em cima pra fazer peso. Peso não fez, porque já estava cheio d’água. Meu medo era o carro sair andando na lama”, afirmou o pintor.

Tony explica que estava dormindo, quando os vizinhos bateram na porta chamando a família. O pintor relembra que a água já estava acima do tornozelo e começou a retirar a família da residência antes que a água subisse. “Só deu tempo de salvar as vidas mesmo, o resto já era”, afirmou.

Tony Nogueira não terminou de pagar de carro que quase ficou submerso em alagamento — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Segundo ele, estavam na casa sua esposa, quatro filhos, uma enteada, a sogra e três cachorros. O homem ainda relembra que se juntou com os vizinhos para salvar os cachorros das casas próximas, que estavam presos e sem os tutores.

Enquanto a família dele se alojou em outra casa próxima, o pintor conseguiu retirar o carro do sogro do alagamento, mas quando retornou não foi possível salvar o próprio carro.

“Eu nem paguei tudo, dei uma parte e ainda estou devendo o resto. Agora vou ter que arrumar dinheiro para consertar”, afirma o pintor, que nem sabe ainda se o carro está em condições de ligar.

TV Cabo Branco registrou as perdas do pintor após o alagamento. De acordo com Tony, a água começou a entrar até pelo ralo do chuveiro e pela privada. Quando a equipe de reportagem chegou ao local, a água ainda não havia descido completamente, a geladeira estava alagada e as roupas dentro de sacolas em cima do sofá para não molhar.

Ele relembrou que uma vizinha alertou que a região costuma alagar em época de chuva, mas ele acreditava que as barreiras construídas na casa seriam suficientes para evitar o alagamento.

Água continuava alagou a casa de Tony Nogueira — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

‘O problema já é antigo’, diz morador

O presidente da Associação dos Moradores do Esplanada, Josélio Costa, afirmou que “o problema já é antigo” no bairro. Ainda de acordo com ele, a água de outros bairros e empreendimentos escorre para o bairro e a galeria pluvial não suporta o volume de água.

Apesar de uma obra estar acontecendo na região para ampliar a galeria pluvial do bairro, Josélio reclama que o ritmo da construção segue lento.

A Secretaria de Infraestrutura afirmou ao g1 que estão realizando obra de drenagem no Esplanada, mas vai precisar de uma travessia e estão aguardando uma autorização do DNIT para dar continuidade à construição e concluir.

Chuvas em João Pessoa

Alagamento no cruzamento entre as avenidas Dom Pedro II e Coremas, no Centro de João Pessoa — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

João Pessoa registrou 125 milímetros de chuva em 12 horas, de acordo com dados da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa-PB), quase metade da média histórica prevista para o mês, de 282 mm.

Por conta do alto volume de precipitação, pelo menos 10 pontos da cidade tiveram bloqueio no trânsito no período da manhã, de acordo com a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob-JP). São áreas da cidade em que o acúmulo de água impediu a passagem de veículos Além disso, ao menos cinco semáforos apresentaram problemas na capital.

De acordo com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), o maior registro de chuvas aconteceu no Altiplano (111,4 mm de chuva), seguido por Manaíra (107,4 mm de chuva), Cuiá (107,4 mm de chuva), Cristo Redentor (99,6 mm de chuva), Tambauzinho (92,6 mm de chuva), Centro (89,8 mm de chuva) e Grotão (81,2 mm de chuva).

G1

Comentários (0)

Faça seu Login para participar da conversa
Entrar