Azevêdo diz que Romero barrou concessão para Estado implantar VLT em CG e dá prazo para prefeito implantar

por

Após a polêmica gerada entre o governador João Azevêdo e o prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues pela disputa de ‘paternidade’ em relação à implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Campina Grande, João Azevêdo disse, nesta sexta-feira (12), que já tinha conseguido com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, o compromisso de repassar a concessão para o Estado, mas Romero conseguiu sustar junto ao presidente Jair Bolsonaro, e não irá fazer disputa política pequena. “Se o prefeito de Campina Grande tem as condições de implantar o VLT, que implante”. 

João Azevêdo contou que, quando esteve em Brasília, na segunda-feira (8), disse ao ministro da Infraestrutura “nós temos o dinheiro, nós temos o projeto, nós temos os técnicos que querem realizar o trabalho e vamos fazer; o ministro disse: esse é o tipo de projeto que eu gosto, que vem pra cá, que não pede nada”. João Azevêdo saiu de lá com a informação do ministro de que iria conversar com a sua equipe jurídica para descobrir a melhor forma de repassar a concessão e com reunião marcada já para o dia 17 próximo para assinar um termo entre Governo do Estado, Ministério da Infraestrutura e a concessionária da linha.

João em reunião com o ministro Tarcísio Freitas

 “Aí, a surpresa, no outro dia, o prefeito de Campina Grande, foi até o presidente e pediu que o presidente ligasse para o ministro e suspendesse esse documento que iria para o Estado, e que fosse para a Prefeitura. Olha, eu jamais disputaria a execução de uma obra. O que me interessa é que a obra seja feita. Se o prefeito de Campina Grande trouxe para si a responsabilidade de implementar essa obra, que implemente. Não tem problema nenhum, o Estado vai ficar aguardando”, disse João. 

O governador, no entanto, disse que se Romero não realizar a obra, o Governo do Estado executará.

“Se o prefeito de Campina Grande disser que tem o dinheiro para fazer, como o Estado tem os recursos, que diga, anuncie e comece a fazer a obra. Não tem problema de disputa política comigo, jamais. Agora, tem uma coisa: se ele não fizer até a data que ele deixar a prefeitura, o Estado vai lá, refaz o projeto e executa a obra, porque nós temos compromisso com o povo de Campina Grande, que eu assumi durante a campanha e disse várias vezes que implantaria, e eu não preciso de recursos do governo federal para fazer essa obra”, disse o governador. 

A entrevista de João foi concedida ao programa de rádio da Band News Manaíra, na manhã desta sexta-feira.

Para implantação do VLT, é necessária a concessão da linha férrea. Depois que Romero falou com Bolsonaro, por telefone, o presidente, segundo a Prefeitura campinense, “deu recomendação expressa ao ministro Tarcísio Gomes de Freitas, da Infraestrutura, para dar total prioridade à demanda apresentada por Romero”.

Adicionar um comentário

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Escreva seu comentário

MAIS DO Agora Cariri

Continue lendo