Couto diz que Lula chama Ricardo de ‘meu senador’ ao destacar cenário político em 2022 na Paraíba

A parceria entre Lula e Ricardo Coutinho é antiga e poderá ganhar mais força nas eleições do próximo ano. É o que revelou o ex-deputado federal, Luiz Couto (PT), na tarde desta sexta-feira (21), durante entrevista ao programa Arapuan Verdade. Como acompanhou o ClickPB, a admiração de Lula por Ricardo Coutinho, já demonstra o apoio do líder petista a possibilidade de Ricardo disputar uma vaga no Senado pelo Partido dos Trabalhadores na Paraíba.

Além de reforçar que Ricardo será bem-vindo ao PT, o ex-deputado também revelou que Lula se refere a Ricardo como seu Senador. “Em uma fala de Lula, ele disse, alô meu senador. Ricardo já conversou com várias lideranças do PT, com Lula, Haddad, estamos esperando uma palavra do diretório nacional. A filiação não dependerá de ninguém na Paraíba. Será tudo com a nacional”, explicou.

Segundo Couto, o ex-governador poderá disputar qualquer cargo nas eleições de 2022. “Ele pode ser candidato a governador ou até mesmo a senador. Isso vai depender da vontade dele e da direção nacional do partido”, disse. O apoio que Ricardo teve de Lula nas eleições do ano passado quando ele disputou a Prefeitura de João Pessoa também se estenderá a disputa do ano que vem. 

Na época em que Lula esteve preso, Ricardo Coutinho era governador, e foi um dos únicos políticos do país que apoiou o petista, realizando diversas manifestações e atos públicos em defesa do ex-presidente.

Acerca do possibilidade do partido disputar um nome para o governo do estado, o petista deixou claro sua mágoa com o governador e disse que se depender dele, o Partido dos Trabalhadores não apoiará João para a disputa pela reeleição.

Ele fez referência a sua exoneração do cargo de secretário de Estado da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido pelo atual governador João Azevêdo (Cidadania), após manifestar apoio à candidatura de Ricardo Coutinho (PSB) a prefeito de João Pessoa nas eleições de 2020, quando o chefe do executivo apoiava Cícero Lucena para o cargo.

“A direção nacional está discutindo, se depender de mim não terá nosso apoio. Tomei uma posição política de apoiar Ricardo Coutinho e o que ele fez foi me exonerar mesmo com o pedido que fiz de férias. Então não tem como você apoiar uma figura dessa”, criticou.