Brasil supera recorde de medalhas conquistadas em uma única edição de Olimpíadas

Com a classificação da seleção de vôlei feminino à final das Olimpíadas de Tóquio, o Brasil assegurou nesta sexta-feira (6) um número maior de medalhas do que as conquistadas nos Jogos do Rio-2016. Dessa forma, o país registra seu recorde de pódios em uma única edição de Jogos Olímpicos.

Serão ao menos 20 pódios no Japão, contra 19 da última edição. Até esta sexta, 16 medalhas haviam sido conquistadas (4 ouros, 4 pratas e 8 bronzes), mas outras 4 já estão garantidas, uma vez que o Brasil ainda disputará quatro finais (duas no boxe, com Bia Ferreira e Hebert Conceição, além do futebol masculino e do vôlei feminino).

Se em todas essas decisões as medalhas vierem na cor dourada, o Brasil também superará o número de ouros conquistados há cinco anos: 8 em Tóquio contra 7 no Rio.

A campanha no Japão foi impulsionada pela entrada de novas modalidades no programa olímpico, como o surfe e o skate -não há brasileiro nos estreantes caratê e escalada.

Assim, além do ouro de Italo Ferreira no surfe, o Brasil ganhou duas pratas no skate street, com Rayssa Leal e Kelvin Hoefler, além da prata de Pedro Barros no park. Com o programa mais inchado, Tóquio irá distribuir 10,8% mais ouros do que no Rio.

Houve também uma maior participação feminina na composição das conquistas. As mulheres conquistaram 9 das 20 medalhas garantidas até agora (45%). No Rio, foram 5 de 19 (26,3%).

Em geral, após sediar o evento, os países caem em número de medalhas nas Olimpíadas seguintes, ainda que fiquem em um patamar mais alto do que antes de receber as competições em seu próprio território.

O feito que o Brasil alcançou em Tóquio, de superar a quantidade de medalhas dos Jogos do Rio, só tem paralelo com o que a Grã-Bretanha alcançou depois de sediar os Jogos. Nas Olimpíadas de 2012, quando foram anfitriões, os britânicos obtiveram 65 medalhas. Foram ainda melhores na edição seguinte, no Brasil, com 67 pódios.

Nos demais casos desde 1896, a regra é o que se passou com a China, por exemplo. Em Pequim-2008, o país obteve cem medalhas; quatro anos depois, 91.

MEDALHAS BRASILEIRAS NOS JOGOS DE TÓQUIO-2020

Total até agora: 20

– 4 ouros
Italo Ferreira – surfe
Martine Grael e Kahena Kunze – vela
Rebeca Andrade – ginástica artística (salto)
Ana Marcela Cunha – maratona aquática

– 4 pratas
Kelvin Hoefler – skate street
Rayssa Leal – skate street
Pedro Barros – skate park
Rebeca Andrade – ginástica artística (individual geral)

– 8 bronzes
Mayra Aguiar – judô
Daniel Cargnin – judô
Thiago Braz – salto com vara
Alison dos Santos – 400 m com barreiras
Bruno Fratus – natação (50 m livre)
Fernando Scheffer – natação (200 m livre)
Laura Pigossi e Luisa Stefani – tênis
Abner Teixeira – boxe

O Brasil já tem mais quatro medalhas garantidas (de ouro ou prata), já que os boxeadores Hebert Conceição e Bia Ferreira chegaram às finais de suas categorias, assim como as equipes de futebol masculino e vôlei feminino.

MEDALHAS BRASILEIRAS NOS JOGOS DO RIO-2016

Total: 19

– 7 de ouro
Vôlei masculino
Futebol masculino
Rafaela Silva – judô
Thiago Braz – salto com vara
Martine Grael e Kahena Kunze – vela
Alison e Bruno – vôlei de praia
Robson Conceição – boxe

– 6 de prata
Isaquias Queiroz – canoagem velocidade
Isaquias Queiroz e Erlon de Souza – canoagem velocidade
Ágatha e Bárbara – vôlei de praia
Arthur Zanetti – ginástica artística (argolas)
Diego Hypólito – ginástica artística (solo)
Felipe Wu – tiro esportivo

– 6 de bronze
Mayra Aguiar – judô
Rafael Silva – judô
Arthur Nory – ginástica artística (solo)
Poliana Okimoto – maratona aquática
Isaquias Queiroz – canoagem velocidade
Maicon Siqueira – taekwondo