Lázaro troca tiros com a polícia e consegue escapar novamente

Lázaro Barbosa conseguiu escapar de mais um confronto com a polícia, na tarde desta quinta-feira, 17. Uma intensa troca de tiros foi confirmada por agentes de segurança que estão na região. O homem que é caçado por nove dias consecutivos ainda não foi pego e se segue escondido em matas e grotas da região do povoado de Girassol, na cidade de Cocalzinho.

A força-tarefa que busca por Lázaro, conta com mais de 200 policiais. O homem é suspeito de cometer uma chacina em Ceilândia. Durante essa fuga ele já trocou tiros com a polícia por duas vezes, inclusive ferindo um policial no rosto. Também houve um confronto com um caseiro de uma chácara da região. Dezenas de policiais civis e militares, viaturas e três helicópteros estão mobilizados na operação. Não há informações sobre feridos.

Vinte homens da Força Nacional de Segurança serão encaminhados para o Entorno do DF, onde mais de 200 policiais estão focados nas buscas por Lázaro. O ministro da Justiça, Anderson Torres, ligou para o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, e ofereceu a ajuda federal. 

Líder de caminhoneiros ameaça com paralisação e acusa governo de marketing

O presidente da Abrava (Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores), Wallace Landim, conhecido como “Chorão”, reafirmou a possibilidade de paralisação da categoria após promessas não cumpridas pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido), durante entrevista ao UOL News, programa diário transmitido pelo portal UOL, na noite desta quarta-feira (16). Landim acusou ainda o governo de fazer marketing em cima da categoria.

“Possibilidade [de paralisação] há. Estamos no limite, na UTI, estamos tomando esse remédio para salvar a categoria”, disse Landim.

Em janeiro, um grupo de motoristas que fazia uma série de reivindicações tentou mobilizar a categoria para uma paralisação nacional prevista para o dia 1º de fevereiro.

O governo de Bolsonaro correu e anunciou um pacote de medidas para tentar evitar a greve. A principal delas foi a inclusão dos caminhoneiros no grupo de prioridade na vacinação contra a Covid-19, com profissionais de saúde e indígenas, por exemplo.

Cerca de cinco meses depois, a promessa não foi cumprida pelo governo, segundo Landim. “A gente vem participando de muitas reuniões no governo e nada. Nós temos várias situações, uma delas é referente à vacina. A gente está no grupo prioritário desde janeiro, mas até agora a gente não foi imunizado”, afirmou.

O grupo também reclama da linha de crédito criada pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico) no valor de R$ 500 milhões para caminhoneiros autônomos manterem seus veículos. Na época, o governo disse que o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal ficariam responsáveis, inicialmente, por oferecerem os empréstimos.

“Outra coisa que me deixou muito chateado é aquela [linha de crédito do BNDES] de R$ 500 milhões para manutenção da categoria, que foi proposta para nós. Não conheço nenhum caminhoneiro que pegou [empréstimo]. A vigência terminou agora. Eu pedi, mandei ofício para Ministério da Economia. E o Ministério da Economia nem sequer me retornou. Conversamos com vários setores financeiros, esse plano nunca existiu. Estão fazendo marketing em cima da categoria”, afirmou.

Diante da nova pressão da categoria, os ministérios da Economia e da Infraestrutura fecharam em maio detalhes de um pacote de benefícios para os caminhoneiros que seriam divulgados por etapas, conforme reportagem da Folha de S.Paulo. Além de um voucher para amenizar os efeitos dos reajustes do diesel, o governo estuda linhas de crédito e até um programa de renovação de frota.

Batizado pelos assessores palacianos de “Gigantes do asfalto”, o pacotaço foi um pedido expresso do presidente Jair Bolsonaro que, segundo interlocutores, não quer ficar refém da categoria.

Desde fevereiro, os motoristas sinalizam que os reajustes dos afetaram seus ganhos, o que causa temores no governo sobre uma paralisação nos moldes da que ocorreu em 2018. Hoje, 87% do transporte de cargas no país é feito pelas estradas.

Quase 2 milhões de doses contra Covid-19 já foram distribuídas para os municípios da Paraíba

A Paraíba já distribuiu 1.897.150 doses da vacina contra a Covid-19 para todos os 223 municípios da Paraíba. Os dados foram enviados pela Secretaria de Saúde nesta quinta-feira (03), e o ClickPB teve acesso. 

Do número de doses distribuídas, 1.319.282 já foram aplicadas nos municípios, sendo 878.239 de primeiras doses e 441.044 de segundas doses. 

Nesta quinta-feira (03), a Secretaria de Estado da Saúde distribuiu 104.390 doses da vacina AstraZeneca/Fiocruz contra Covid-19. O imunizante garantirá a primeira dose aos trabalhadores de educação do ensino básico e também a 86.040 pessoas com comorbidade ou deficiência permanente e 90 trabalhadores do transporte aéreo. A população quilombola de 11 municípios, que não estava incluída anteriormente pelo Plano Nacional de Imunização (PNI), também foi inserida para esta pauta de vacinação, somando mais 2.730 doses.

Segundo o Secretário Estadual de Saúde, Geraldo Medeiros, nesta sexta-feira (4) são aguardadas ainda 10.530 doses da vacina Pfizer/Comirnaty.

Filho de Whindersson Nunes morre dois dias após o nascimento; bebê nasceu prematuro de 22 semanas

O primeiro filho do comediante Whindersson Nunes e de Maria Lina, João Miguel, morreu nesta segunda-feira (31), segundo informou a assessoria de imprensa do humorista.

O bebê havia nascido neste sábado (29), prematuro de 22 semanas, em uma maternidade de São Paulo, onde estava sob cuidados médicos.

Da gravidez ao parto prematuro: Whindersson Nunes mostrou gestação nas redes sociais

No domingo (30), Whindersson escreveu sobre o nascimento: “Ontem eu conheci meu filho”. “Ele, como diz no interior, é minha cara, cagado e cuspido, até o pé é igual, mas ele é bem pequeninho porque veio um pouco antes do esperado. A mãe [Maria Lina Deggan] dele foi uma leoa demais.”

No início da tarde desta segunda, o comediante publicou um versículo bíblico em seu perfil no Twitter:

Deixai vir a mim os pequeninos, porque deles é o Reino dos Céus.
Mateus 19:14

Puclicação de Whindersson Nunes no Twitter nesta segunda-feira (31) — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Puclicação de Whindersson Nunes no Twitter nesta segunda-feira (31) — Foto: Reprodução/Redes Sociais

O piauiense também divulgou no Instagram uma música que fez para o filho João Miguel, enquanto o bebê estava no hospital. O piauiense disse que escreveu a música esperando que o filho pudesse ouvir quando deixasse o hospital.

Brasil registra, entre janeiro e abril, 64% mais mortes do que o esperado para o período, aponta levantamento

O Brasil teve, nos primeiros 4 meses de 2021, 64% a mais de mortes por causas naturais do que o que era esperado, aponta um levantamento divulgado nesta segunda-feira (31) pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

O estudo, realizado pela organização global de saúde Vital Strategies, aponta que houve 211.847 mortes a mais do que o que era esperado entre os dias 1º de janeiro e 17 de abril deste ano – período analisado neste balanço.

As mortes por causas naturais incluem as que ocorreram por doenças, como a Covid-19. Nesse critério, não entram aquelas por acidentes ou armas de fogo, por exemplo.

Na análise dos dados, os pesquisadores apontam que a infecção pelo coronavírus é um dos fatores responsáveis pelo excesso de mortalidade.

“Esta comparação dá uma dimensão do enorme impacto da epidemia de Covid-19 no país, já nos primeiros meses de 2021”, disse em nota o assessor técnico do Conass, Fernando Avendanho.

Ao todo, em 109 dias, era esperado que 328.665 pessoas morressem por causas naturais, com base nos dados históricos do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde de 2015 a 2019.

Veja os principais pontos do levantamento:

  • O excesso de mortes foi maior na faixa etária de até 59 anos: houve 84% a mais de mortes do que o esperado. Na faixa acima dos 60, foram 58% de mortes a mais.
  • Também foi maior entre os homens do que entre as mulheres: o excesso entre o sexo masculino foi de 68%, e entre as mulheres, de 61%.
  • Sudeste foi a região com o maior excesso de mortes, com 46%, seguido do Nordeste, com 19%. O Norte teve 8% a mais de mortes do que o esperado, o Centro-Oeste, 9%, e o Sul, 18%.
  • Os dados foram calculados segundo as semanas epidemiológicas (que vai do domingo até o sábado seguinte). A semana epidemiológica com o maior excesso de mortes foi a 13ª: de 28 de março a 3 de abril, com excesso de mortes em relação ao período de 2015 a 2019 de 117%.
  • O estado com maior percentual de excesso de mortes foi o Amazonas, com 173% a mais de mortes no período do que o que era esperado. O menor percentual foi visto no Piauí, que teve 18% a mais de mortes.

Mortes por Covid-19

O Painel do Conass e Vital Strategies não aponta a causa das mortes. Com base no levantamento do consórcio de veículos de imprensa, em 1° de janeiro deste ano, o Brasil contabilizava 195,4 mil mortes confirmadas pela Covid-19 desde o início da chegada do Sars-CoV-2. Em 17 de abril, este número chegava a 371.889 mortes.

Em todo o ano passado, o excesso de mortalidade ficou em 22%. Em números absolutos, foram identificadas 275.587 mortes a mais do que o esperado.

Secretaria de Saúde diz que número de internação de idosos caiu após vacinação do grupo prioritário na Paraíba

A Secretaria de Estado da Saúde aponta queda no número de internação de idosos por Covid-19 e indica que isso se deve à vacinação desse grupo prioritário. A Paraíba vem apresentando uma mudança de perfil das internações por Covid-19, desde o último mês, quando houve uma queda na regulação de pacientes acima de 60 anos. Dados da Central Estadual de Regulação Hospitalar para Covid-19 apontam que quase 70% dos internados neste mês de maio são pessoas não idosas, com até 59 anos de idade.

O secretário executivo de Saúde da Paraíba, Daniel Beltrammi, disse que é possível afirmar que o avanço da vacinação contra Covid-19 na população acima de 60 anos fez com que o perfil de internação na Paraíba fosse alterado. Na comparação entre o mês de maio de 2020 e o mesmo período deste ano, o estado passou de 42,3% para 66,3% das regulações em pessoas entre 20 e 59 de anos de idade, segundo informações obtidas pelo ClickPB.

“Os dados da Central Estadual de Regulação apresentam um fenômeno importantíssimo no que diz respeito às internações hospitalares por faixas etárias. Os grupos etários que compreendem os idosos tiveram importante efeito protetivo pelas vacinas, uma vez que sua participação nas internações hospitalares apresentou importantes reduções. Entre 60 e 69 anos, redução de 1,4% nas internações; entre 70 e 79 anos, redução de 9,8% nas internações; e entre os maiores de 80 anos redução de 14,9% nas internações”, explicou o secretário executivo.

Daniel Beltrammi aponta para uma preocupação que é o crescimento dos grupos etários mais jovens com a forma grave da doença. O secretário executivo acredita que isso ocorre em função do não atendimento às medidas de proteção como uso de máscaras e atenção às recomendações para não se aglomerar. Entre 20 e 39 anos, por exemplo, o crescimento foi de 10,3%, e entre 40 e 59 anos, o crescimento foi de 16,1%.

Atualmente, 873.197 doses da vacina já foram aplicadas nas pessoas acima de 60 anos, considerando doses 1 e 2. No sistema de informação SI-PNI, a Paraíba tem registrado a aplicação de 1.265.906 doses, sendo 837.344 pessoas vacinadas com a primeira dose e 428.562 com a segunda dose da vacina.

Paraíba registra 33 mortes e 1.917 casos de Covid-19 nesta sexta-feira

A Paraíba registrou, nesta sexta (28), 1.917 casos de Covid-19. Entre os confirmados hoje, 103 (5,37%) são casos de pacientes hospitalizados e 1.814 (94,6%) são leves. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), agora a Paraíba totaliza 326.342 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por todos os 223 municípios. Atualmente, 913.702 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados, segundo informações obtidas pelo ClickPB.

Também foram confirmados 33 novos óbitos desde a última atualização, sendo 22 ocorridos nas últimas 24h. Os óbitos confirmados neste boletim aconteceram entre os dias 28 e 21 de maio de 2021, sendo 04 em hospitais privados, 01 em residência e os demais em hospitais públicos. Com isso, o estado totaliza 7.589 mortes. O boletim registra ainda um total de 223.896 pacientes recuperados da doença.

Concentração de casos

Cinco municípios concentram 929 novos casos, o que corresponde a 48,46% dos casos registrados nesta sexta. São eles: João Pessoa, com 467 novos casos, totalizando 85.354; Campina Grande, com 221 novos casos, totalizando 28.966; Cajazeiras, com 83 novos casos, totalizando 7.555; Esperança, com 79 novos casos, totalizando 3.843; Guarabira, com 79 novos casos, totalizando 7.794.

* Dados oficiais preliminares (fonte: e-sus VE, Sivep Gripe e SIM) extraídos às 10h do dia 28/05/2021, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

Óbitos

Até esta sexta, 218 cidades paraibanas registraram óbitos por Covid-19. Os 33 óbitos confirmados neste boletim ocorreram entre residentes dos municípios de Bananeiras (2); Barra de São Miguel (1); Bayeux (1); Cacimba de Dentro (1); Campina Grande (5); Caturité (1); Diamante (1); Dona Inês (1); Imaculada (1); João Pessoa (7); Lagoa (1); Livramento (1); Olho d’Água (1); Pitimbu (1); Pombal (1); Queimadas (1); Riachão do Poço (1); Santa Rita (1); Santo André (1); São José da Lagoa Tapada (2) e Sossêgo (1).

As vítimas são 16 homens e 17 mulheres, com idades entre 29 e 92 anos. Cardiopatia foi a comorbidade mais frequente e 07 não tinham comorbidades.

Ocupação de leitos Covid-19

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 79%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 78%. Em Campina Grande estão ocupados 84% dos leitos de UTI adulto e no sertão 94% dos leitos de UTI para adultos. De acordo com o Centro estadual de regulação hospitalar, 106 pacientes foram internados nas últimas 24h. Ao todo, 938 pacientes estão internados nas unidades de referência.

Cobertura Vacinal

Foi registrado no sistema de informação SI-PNI a aplicação de 1.268.424 doses. Até o momento, 839.136 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 429.288com a segunda dose da vacina. A Paraíba já distribuiu um total de 1.620.498 doses de vacina aos municípios.

Os dados epidemiológicos com informações sobre todos os municípios e ocupação de leitos estão disponíveis em www.paraiba.pb.gov.br/coronavirus.

Anvisa autoriza novas condições de conservação para vacina da Pfizer

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta sexta-feira (28) novas condições de conservação e armazenamento para a vacina Comirnaty, produzida pela Pfizer/Wyeth. O novo texto de bula estende de cinco para 31 dias o tempo para que a vacina seja mantida em temperatura controlada entre 2 graus Celsius (ºC) a 8ºC. Antes da liberação dos frascos para a vacinação, as doses da Pfizer precisam ser armazenadas em caixas com temperaturas entre -25°C e -15°C por, no máximo, 14 dias.

A mudança facilita a ampliação da distribuição da vacina em todo o país, já que, além das capitais dos estados, outros municípios que ficam até duas horas e 30 minutos distantes delas também poderão receber doses do imunizante. Nesses casos, devem ser consideradas as particularidades que envolvem o armazenamento da vacina durante o transporte.

Segundo a Anvisa, para aprovar as novas condições a agência avaliou os estudos de estabilidade apresentados pelo laboratório desenvolvedor da vacina, que servem para definir por quanto tempo e em quais condições a vacina mantém suas características sem alteração.

Ontem, o Ministério da Saúde anunciou a chegada de mais 2,3 milhões de doses da vacina da Pfizer nos primeiros dias de junho. A expectativa é que no próximo mês sejam importadas 12 milhões de vacinas da farmacêutica. O governo federal tem dois contratos assinados com a Pfizer que totalizam a importação de 200 milhões de vacinas até o fim deste ano.

Marido de Sandy diz que teve de carregar a cantora para vomitar antes de show

 No último episódio da série “Nossa História”, exibido neste domingo (23) na Globo, Lucas Lima, 38, marido de Sandy, 38, fez uma revelação sobre os bastidores de um dos shows da turnê da banda em 2019. No programa, que conta a história da dupla Sandy e Júnior, o músico e produtor da turnê falou sobre quando a esposa passou mal na véspera do show de gravação do DVD e quase teve de cancelar a apresentação.

“Três horas da manhã e eu tive de carregar a Sandy até o banheiro para vomitar”, revelou Lima. A cantora disse que havia contraído rotavírus do filho Theo, que passou mal enquanto voltavam do show em Portugal.

“Eu não consigo ter força para levantar da cama, como eu é que eu vou ter força para fazer um show? Eu tomei banho sentada naquele dia”, falou Sandy. “Eu nunca tinha visto ela passando mal nesse nível. Eu nunca tinha visto ela derrubada nesse nível, e ela já ficou doente a vida inteira, isso acontece, é normal. Mas aquilo era um negócio que eu olhei e falei que não tinha a menor condição”, disse Lucas Lima.

O irmão de Sandy, Júnior Lima, 37, relatou a mensagem que a irmã mandou no dia para a equipe. “Gente, é possível que não role, tô muito mal. É capaz de a gente ter de cancelar o show”, disse. Sandy revelou que as pessoas não acreditavam na gravidade da situação, respondendo que iria dar tudo certo e que ela iria estar no show naquele dia à noite.

Enquanto Júnior fazia a passagem de som no palco naquele dia em São Paulo, ele revelou para os fãs presentes que a situação da irmã não era favorável para realizar a apresentação. “Eu subi para fazer a passagem de som e a Sandy estava em Campinas ainda”, comentou Júnior Lima.

Um médico foi chamado para atender Sandy em sua casa. A cantora melhorou e conseguiu realizar a apresentação programada.

Hoje foi exibido o último episódio da série na Globo. A produção se encontra disponível na íntegra no Globoplay.

TURNÊ LUCRATIVA

A turnê da dupla Sandy e Junior não foi sucesso somente no Brasil. De acordo com ranking feito pela Pollstar, publicação voltada ao mercado de shows, e divulgado pelo jornal The Washington Post, “Nossa História” foi a segunda turnê mais lucrativa do ano. A liderança ficou com Elton John.

Os shows que marcaram o retorno da dupla foram anunciados em março e tiveram início dia 12 de julho. Ao todo, os irmãos fizeram 18 shows, 16 em capitais brasileiras, um em Portugal e outro nos Estados Unidos. A lista foi baseada na média bruta em bilheteria por cidade na qual a turnê passou e preço médio dos ingressos.

Quando anunciou a turnê, Junior fez questão de ressaltar que não seria uma volta da dupla, mas um momento pontual para celebrar e revisitar o passado. “As nossas carreiras individuais continuam”, destacou. “É uma celebração daqueles 17 anos mágicos que vivemos, em que a gente estava se transformando em quem a gente é hoje”, afirmou Sandy.

Os irmãos disseram também que desde 2007, quando anunciaram a separação, recebiam propostas para voltar, mas só agora se sentiram preparados.

“A gente queria estar com os nossos projetos individuais mais consolidados até para não confundir a cabeça das pessoas. E agora, individualmente, estamos mais seguros para fazer essa brincadeira e voltar ao passado”, completou Junior.

Veja os cinco primeiros colocados:

1. Elton John: US$ 2.870.863; US$ 130,86 (R$ 11.993 milhões e R$ 546,69 )

2. Sandy e Junior; US$ 2.260.403: US$ 54,38 (R$ 9.443 milhões e R$ 227,18)

3. Phil Collins: US$ 2.145.965; US$ 144,69 (R$ 8.965 milhões e R$ 604,47)

4. Guns N ‘Roses: US$ 2.003.111; US$ 127,13 (R$ 8.368 milhões e R$ 531,11)

5. Muse: US$ 1.921.982; US$ 85,11 (R$ 8.029 milhões e R$ 355,56 )

Mc Kevin, modelo e amigos consumiram mais de R$ 1.500 em quiosque

O cantor Kevin Nascimento Bueno, o MC Kevin, seus amigos Victor Elias Fontenele, Jhonatas Augusto Cruz e Gabriel, e a modelo Bianca Domingues consumiram R$ 1.555,40 no Kiosque Carioca, na orla da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, durante a tarde de domingo, dia 16. De acordo com o relatório do sistema do estabelecimento, ao qual O GLOBO teve acesso com exclusividade, apenas de bebida alcoólica, que inclui caipirinha, caipivodka, cerveja, tequila, gim, e de enérgico, o grupo gastou R$ 1.070.

O documento mostra ainda o comprovante de pagamento da conta, que foi quitada no cartão de débito às 18h02, 11 minutos antes de bombeiros do Grupamento de Busca e Salvamento serem acionados para socorrer o funkeiro, que caira da suíte 502 de um hotel em frente. Houve consumo ainda de isca de peixe com batata frita, camarão sem casca com aipim, contra-filé, coco, refrigerantes e sorvete com brownie.

Os homens estavam sentados na mesa 22, próxima à areia da praia. Em depoimento prestado ao delegado Henrique Damasceno, da 16ª DP (Barra da Tijuca), que apura o caso, eles contaram que viram Bianca, que estava na mesa 35 – onde foram consumidas sete caipivodkas com frutas – a abordaram e logo depois a convidaram para juntar-se a eles.

Segundo a nota, o grupo também comprou um isqueiro, no valor de R$ 7. Na delegacia, eles admitiram que fumaram maconha no local. No termo de declaração prestado por Jhonatas, o jovem mencionou que eles “beberam diversos drinks e fumaram alguns baseados” e que os cigarros “foram trazidos de São Paulo” e que cada um comprou “a sua” droga.

Em nota publicada no Instagram, o Kiosque Carioca prestou solidariedade a familiares, amigos e fãs de MC Kevin e informou que o funkeiro passou o dia no local, jogando futmesa, cantando com um grupo de pagode e sendo cortês com com os funcionários e simpático com o público. Às 17h21, o artista deixou a praia acompanhado de um dos seus seguranças. “Não nos interessa a vida pessoal dos nossos clientes. Nosso estabelecimento é um local democrático, livre de qualquer tipo de preconceito”, diz o comunicado.

O inquérito aponta que, pouco depois de 17h, Victor deixou a praia acompanhado de Bianca, em direção ao hotel. Minutos depois, Kevin foi na mesma direção. Os três haviam combinado de ter relações sexuais e pagar R$ 2 mil para a modelo. Jhonatas teria tentado participar do programa, mas teria sido vetado. Ao levar a moça para a varanda, com receio de ser flagrado pela mulher, a advogada Deolane Bezerra, que estava hospedada no quarto 1305, o funkeiro tentou passar para o andar de baixo, pela sacada, mas se desequilibrou de uma altura de 18 metros.

Kevin chegou a ser levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas não resistiu aos ferimentos. O laudo de necropsia do Instituto Médico Legal (IML) apresentou que o corpo do rapaz sofreu 13 fraturas, do nariz, maxilar, mandíbula e costelas, além de hemorragia na cabeça, perfuração no pulmão e rompimento do fígado. A causa da morte é descrita como traumatismo crânio encefálico.